jusbrasil.com.br
11 de Maio de 2021

Tudo sobre a Operação Lava Jato

Lucas Gabriel Luiz, Estudante
Publicado por Lucas Gabriel Luiz
há 4 anos

Operação Lava Jato

A Operação Lava Jato é a maior investigação sobre corrupção conduzida até hoje no Brasil. Ela teve início no Paraná, em 17 de maço 2014, unificando quatro ações que apuravam redes operadas por doleiros que praticavam crimes financeiros com recursos públicos. O nome Lava Jato era uma dessas frentes iniciais e fazia referência a uma rede de postos de combustíveis e lava jato de veículos, em Brasília, usada para movimentação de dinheiro ilícito de uma das organizações investigadas inicialmente.

Desde então, a operação descobriu a existência de um vasto esquema de corrupção na Petrobras, envolvendo políticos de vários partidos e algumas das maiores empresas pública e privadas do país, principalmente empreiteiras.

Como Funciona o Esquema

1. Propinas: Diretores e funcionários Petrobras cobravam propina de empreiteiras e outros fornecedores para facilita seus negócios com a estatal.

2. Contratos Superfaturados: Os contratos dessas empresas com a Petrobras eram superfaturados para permitir o desvio de dinheiro dos cofres da estatal para os beneficiários do esquema.

3. Operadores: A propina paga pelas empreiteiras e fornecedores da Petrobras foi desviada para lobistas, doleiros e outros operadores encarregados de repassa-lo a políticos e funcionários públicos.

4. Partidos Políticos: O esquema beneficiava os partidos políticos responsáveis pela indicação dos diretores da Petrobras que colaboravam com o esquema na estatal.

O Avanço das investigações

1. Doleiros:

As autoridades começaram a investigar, em 2009, uma rede de doleiros ligada a Alberto Youssef, que movimentou bilhões de reais no Brasil e no exterior.

2. Petrobras:

Alberto Youssef tinha negócios com ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, os dois foram presos em março de 2014, e daí os desvios em obras da Petrobras se tornaram o foco principal da investigação.

3. Prisões e Delações:

Em agosto de 2014, após ser preso pela segunda vez, Paulo Roberto Costa aceito colaborar com as investigações em troca de redução de pena, Alberto Youssef também virou delator. No final de 2016, a Odebrecht firmou acordo de delação premiada, que originou a “lista de fachin”. Em maio de 2017, delações de executivos da JBS envolvem o previdente Michel Temer e diversos políticos.

4. Empreiteiras:

As delações deram impulso ás investigações, em junho de 2015, foram presos os presidentes da Odebrecht e Andrade Gutierrez, Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo.

5. Políticos:

Em 2015, a operação alcançou os políticos.

§ Em julho, buscas contra o senador Fernando Collor (PTC-AL).

§ Em agosto, ex-ministro do governo Lula José Dirceu.

§ Em dezembro, foram presos o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula. O ex-presidente se tornou réu pela primeira vez em julho de 2016.

§ O ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

§ O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB-RJ), alvo da PF em quatro operações, foi preso em novembro de 2016.

§ O ex-ministro do Turismo do governo Temer e ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) foi preso em junho de 2017.

6. Outros Setores:

Empreiteiros que decidiram colaborar com as investigações sobre a corrupção na Petrobras apontaram desvios semelhantes em obras de outros setores: elétrico, como a usina nuclear de Angra 3 e Belo monte, Copa do mundo, estádios, transportes, como ferrovia Norte-Sul e obras do metrô.

As Fases da Operação

1ª Fase: 17 de março de 2014 ( Lava Jato )

Policia Federal deflagra a Operação Lava Jato em seis Estados e no DF. Mas de 20 pedidos de prisão são expedidos, é preso o doleiro Alberto Youssef.

2ª Fase: 20 de Março de 2014 ( Lava Jato )

Diretor de abastecimento da Petrobras de 2004 a 2012, Paulo Roberto Costa é Preso pela PF sob a suspeita de destruí e ocultar documentos.

3ª Fase: 11 de abriu de 2014 ( Lava Jato )

Policia Federal amplia investigação sobre negócios suspeitos da Petrobras e faz operação de busca e apreensão na sede da estatal, no Rio.

4ª Fase: 11 de junho de 2014 ( Lava Jato )

Justiça volta a decretar a prisão de Paulo Roberto Costa, que havia sido solto em 19 de maio, por ele ter ocultado que controlava contas na suíça com saldo de US$ 23 milhões.

5ª Fase: 01 de julho de 2014 ( Lava Jato )

Nova operação amplia investigações anteriores e cumpre um mandado de prisão.

6ª Fase: 22 de agosto de 2014 ( Lava Jato )

Desdobramento da fase anterior.

7ª Fase: 14 de novembro de 2014 ( Juízo Final )

Fase mira executivos de grandes empreiteiras e cumpre mais de 20 mandados de prisão.

8ª Fase: 14 de janeiro de 2015 ( Lava Jato )

Ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró é preso no Rio ao desembarcar de Londres, pedida por haver indícios de que ele continuava a praticar crimes.

9ª Fase: 05 de fevereiro de 2015 ( My Way)

Nova fase tem como foco pagamento de propinas na diretoria de serviços da Petrobras, de Renato durque, e na BR distribuidora. Houve três mandados de prisão. No dia 27 de março , o presidente do grupo Galvão, Dario Galvão Filho e mais uma pessoa são presos.

10ª Fase: 16 de março de 2015 ( Que País é esse)

Policia Federal volta a prender o ex-diretor de serviço da Petrobras Renato Duque, que havia sido solto em 03 de dezembro.

11ª Fase: 10 de abriu de 2015 ( A Origem )

Polícia prende os ex-deputado André Vargas (EX-PT-PR), Luiz Argôlo (ex-pp-ba) e mais quatro pessoas ligadas aos políticos. Ouve uma ordem de prisão contra o ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE). A investigação se expande para crimes na caixa econômica federal e no ministério da saúde.

12ª Fase: 15 de abriu de 2015 ( Lava Jato )

O então tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, é preso sob suspeita de receber propina por obras da Petrobras. Também é expedida ordem de prisão contra a Cunha de Vaccari, Marice de Corrêa Lima.

13ª Fase: 21 de maio de 2015 ( Lava Jato )

Em desdobramento da fase anterior, polícia federal prende Milton Pascowitch, apontado como operador da empreiteira Engevix em contratos da Petrobras e suspeito de repassar propina na diretoria de serviços.

14ª Fase: 19 de junho de 2015 ( Erga Omnes )

Presidente da Odebrecht e da Andrade Gutierrez são presos.

15ª Fase: 02 de julho de 2015 ( Conexão Mônaco )

O ex-presidente da área internacional da Petrobras Jorge Zelada é preso sob a suspeita de envolvimento em crimes de corrupção fraude em licitações, desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro.

16ª Fase: 28 de julho de 2015 ( Radiotavidade )

Foco são propina pagas por empreiteiras em contratos com Eletronuclear e nas obras da usina de Angra 3.

17ª Fase: 03 de agosto de 2015 ( Pixuleco )

Polícia federal cumpre oito mandados de prisão, incluindo do ex-ministro petista José Dirceu, que já havia sido preso pelo mensalão.

18ª Fase: 13 de agosto de 2015 ( Pixuleco 2)

Investiga esquema de desvio no ministério do planejamento através de empréstimos consignados a servidores.

19ª Fase: 21 de setembro de 2015 ( Nessun Dorma)

Nova fase prende João Augusto Rezende Henriques e José Antunes Sobrinho, Há suspeita de desvios em contratos da Eletronuclear e pagamentos de propina á diretoria internacional da Petrobras.

20ª Fase: 16 de novembro de 2015 ( Corrosão )

Polícia federal prende Nelson Martins Ribeiro, Roberto Gonçalves, ex-gerente ele teria recebido propina por contratos de Sondas e da COMPERJ.

21ª Fase: 24 de novembro de 2015 ( Passe Livre )

Operação prende o pecuarista José Carlos Bumlai, próximo de lula. Ele é suspeito de receber propina para mediar negócios da sete Brasil.

22ª Fase: 27 de janeiro de 2016 ( Triplo X )

Polícia federal cumpre seis mandados de prisão e investiga se a oas utilizou um condomínio em Guarujá (SP) para repassar propina da Petrobras. O ex-presidente Lula (PT) chegou a ter um tríplex reservado para sua família no prédio.

23ª Fase: 22 de fevereiro de 2016 ( Acarajé )

João Santana, marqueteiro das campanhas de Dilma Rousseff (PT). Oito pessoas foram presas, incluindo Santana e sua mulher, Monica Moura.

24ª Fase: 04 de março de 2016 ( Aletheia)

Investigação apura se empreiteiras investidas pagaram vantagens indevidas a lula por meio de obras em dois imóveis ligados a ele e repasses a sua empresa de dois imóveis ligados a ele e repasses a sua empresa de palestras e ao seu instituto.

25ª Fase: 21 de março de 2016

Primeira fase internacional da Lava Jato prende o operador Raul Schmidt Felippe Junior, em Lisboa.

26ª Fase: 22 de março de 2016 ( Xepa )

Policia federal prende 13 pessoas, incluído executivo da Odebrecht investigações mira departamento de empreiteiras feito para pagamentos de propina a pessoas ligadas ao poder público, inclusive á Petrobras.

27ª Fase: 01 de abriu de 2016 ( Carbono 14 )

Polícia federal prende o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira e o empresário Ronan Maria Pinto em investigação sobre a relação entre desvios na Petrobras e a morte do prefeito é que santo André Celso Daniel (PT). A suspeita é que empréstimo contraído pelo PT por meio de José Carlos Bumlai tenho servido para pagar ronan e evitar que ele revelasse detalhes do assassinato.

28ª Fase: 12 de abriu de 2016 ( Vitória de Pirro )

Fase prende o ex-senador Gim Argello (PTB-DF) e outras duas pessoas e mira a empreiteira OAS.

29ª Fase: 23 de maio de 2016 ( Repescagem )

Policia federal prende o ex-funcionário do PP João Claudio Genu, que já havia sido condenado no Mensalão, e outras duas pessoas.

Ele continua a receber propinas do esquema de corrupção na Petrobras.

30ª Fase: 24 de maio de 2016 ( Vício )

Investiga pagamento de propina ao ex-diretor da Petrobras Renato Duque e ao ex-ministro José Dirceu (PT) por contratos da Petrobras com fornecedoras de Tubulação.

31ª Fase: 04 de julho de 2016 ( Abismo )

Tem como alvo obra no centro de pesquisa da Petrobras, feita pelas empreiteiras Carioca engenharia, OAS, Construbase, construcap e schahin.

32ª Fase: 07 de julho de 2016 ( Caça-fantasmas )

O objetivo da nova fase seria desmontar um suposto esquema de lavagem de dinheiro desviado da Petrobras para operar no Brasil e empresas offshores em paraísos fiscais. O FPB bank operário irregularmente no Brasil e também utilizaria os serviços da Mossak Fonseca para criar offshores em paraísos fiscais.

· Principais Alvos: Edson Paulo Fanton, uma instituição bancária do panamá atuaria clandestinamente no Brasil.

33ª Fase: 02 de agosto de 2016 ( Resta um )

Segundo as investigações, há indícios de que a Queiroz Galvão formou, com outras empresas, um cartel que participou ativamente de ajustes para fraudar licitações da Petrobras.

· Principais Alvos: Executivos da Queroz Galvão, Ildefonso Colares Filho e Othon Zanoite Moraes Filho, ex-presidente e ex-diretor da empresa.

34ª Fase: 22 de setembro de 2016 ( Arquivo X )

Guido Mantega executivos das empresas mende júnior e OSX, do empresário Eike Batista, são investigados por supostos desvios na construção das plataformas P-67 e P-70, da Petrobras, construídas para a exploração do pré-sal, em 2012.

· Principais Alvos: Guido Mantega, ex-ministro da fazenda, Ocupou o cargo entre março de 2016 e dezembro de 2014.

35ª Fase: 26 de setembro de 2016 ( Omertà )

A operação Omertà investifa indícios de uma relação criminosa entre o ex-ministro Antonio Palocci e a empreiteira Odebrecht, há indícios de que Palocci atuou diretamente para obter vantagens econômicas à empresa em contratos com o poder púlitico e se beneficiando de valores ilícitos.

· Principais Alvos: Antonio Palocci, ministro da fazenda do governo Lula.

As Empreiteiras

As maiores empreiteiras do pais têm negócios com a Petrobras e se ternaram alvo das investigações. As empresas sob investigação estão impedidas de obter novos contratos da Petrobras, e varias enfrentam dificuldades financeiras porque perderam acesso a credito após a Operação Lava Jato.

Obras

A Lava Jato encontrou diversos acertos entre empreiteiras, políticos e diretores de estatais para fraudar e definir qual companhia faria qual obra. Em troca, as empresas faziam pagamentos a políticos e diretores com dinheiro público desviado das obras.

As principais obras que tiveram recursos desviados, de acordo com investigações da operação.

· Obra: Aeroporto de Goiânia

Empresa: Odebrecht e Via Engenharia

Local: Goiânia (GO)

· Obra: Angra 3

Empresa: Andrade Gutierrez

Local: Angra dos Reis (RJ)

· Obra: Arena Castelão

Empresa: Odebrecht e Carioca Engenharia

Local: Fortaleza (CE)

· Obra: Arena Corinthians

Empresa: Odebrecht

Local: São Paulo (SP)

· Obra: Arena Amazônia

Empresa: Andrade Gutierrez

Local: Manaus (AM)

· Obra: Arena das Dunas

Empresa: OAS

Local: Natal (RN)

· Obra: Arena Fonte Nova

Empresa: Odebrecht e OAS

Local: Salvador (BA)

· Obra: Arena Pantanal

Empresa: Mendes Júnior

Local: Cuiabá (MT)

· Obra: Arena Pernambuco

Empresa: Odebrecht

Local: Recife (PE)

· Obra: Belo Monte

Empresa: Andrade Gutierrez, Odebrecht, Camargo Correa e outras

Local: Altamira (PA)

· Obra: Canal do Sertão

Empresa: Odebrecht

Local: Alagoas (AL)

· Obra: Cascos para Navios Plataforma

Empresa: Engevix

Local: Estaleiro Rio Grande – Rio Grande (RS)

· Obra: Cenpes

Empresa: OAS, Carioca Engenharia, Construcap, Shahin e Construbase

Local: Rio de janeiro (RJ)

· Obra: Comperj

Empresa: Odebrecht, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez e outras

Local: Itaborai (RJ)

· Obra: Expansão Trensurb

Empresa: Odebrecht, Andrade Gutierrez e outras

Local: São Leopoldo

· Obra: Ferrovia Leste-Oeste

Empresa: Galvão Engenharia, Andrade Gutierrez e outras

Local: Ilhéus (BA)

· Obra: Ferrovia Norte-Sul

Empresa: Andrade Gutierrez, Camargo Correa e Outros

Local: Palmas (TO)

· Obra: Gasoduto Urucu-Manaus

Empresa: OAS, Carioca Engenharia e outras

Local: Manaus (AM)

· Obra: Linha 4 do Metrô do Rio

Empresa: Carioca Engenharia, Queiroz Galvão, Odebrecht e outras

Local: Rio de Janeiro (RJ)

· Obra: Mané Garrincha

Empresa: Andrade Gutierrez e Via Engenharia

Local: Brasília (DF)

· Obra: Maracanã

Empresa: Odebrecht e Andrade Gutierrez

Local: Rio de Janeiro (RJ)

· Obra: Mineirão

Empresa: JBS e Minas Arena

Local: Belo Horizonte (MG)

· Obra: Navios-Sonda

Empresa: Samsung e Mitsui

Local: N/C

· Obra: Plataformas de Petróleo P-51 e P-52

Empresa: Kepper Fels e Setec ( antiga Setal)

Local: Angra dos Reis e Niterói

· Obra: Porto Maravilha

Empresa: Odebrecht, OAS e Carioca Engenharia

Local: Rio de Janeiro

· Obra: Refinaria Abreu e Lima

Empresa: Odebrecht, Queiroz Galvão e outras

Local: Ipojuca (PE)

· Obra: Refinaria de Pasadena

Empresa: Astra ( Bélgica )

Local: Pasadena EUA

· Obra: Refinaria Getúlio Vargas

Empresa: OAS, Odebrecht, UTC e outras

Local: Araucaria (PR)

· Obra: Refinaria Paulínia

Empresa: Mendes Junior, MPE e Sog-Óleo e Gás

Local: Paulínia (SP)

· Obra: Terminal Aquaviário de barra do Riacho

Empresa: Mendes Júnior

Local: Aracruz (ES)

· Obra: Transposição do São Francisco

Empresa: Mendes Júnior

Local: N/C

· Obra: Urbanização da Favela de Maguinhos

Empresa: Andrade Gutierrez, EIT e Canter

Local: Rio de Janeiro

Os Vídeos das Delações

Famosas com Lava Jato, as chamadas delações premiadas são elemento importante nas investigações da operações. Em troca de redução da pena, réus e demais envolvidos no esquema de corrupção colaboram com a justiça. Entre os principais grupos de delações estão: as do executivos e acionistas do grupo Odebrecht; do marqueteiro João Santana e da mulher, Mônica Moura; e dos donos do grupo JBS.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)